No hate. No violence
Races? Only one Human race
United We Stand, Divided We Fall
Radio Islam
Know Your enemy!
No time to waste. Act now!
Tomorrow it will be too late

English

Franç.

Deutsch

Arabic

Sven.

Español

Portug.

Italian

Russ.

Bulg.

Croat.

Czech

Dansk

Finn.

Magyar

Neder.

Norsk

Polski

Rom.

Serb.

Slov.

Indon.

Türk.
 66 Questions and Answers on the Holocaust  
| English | Spanish | Portug | Danish |

 

66 Perguntas e Respostas sobre o Holocausto

 

 

1. Que provas existem de que os nazis mataram seis milhões de judeus?

Nenhuma. Tudo o que temos é o testemunho pós-guerra, na sua maioria de “sobreviventes” individuais. O seu testemunho é contraditório e muito poucos dizem que realmente viram algum “gaseamento”. Não existem documentos convincentes chegados até nós e nenhuma grande evidência: nenhum monte de cinzas, nem crematórios capazes de destruir milhões de corpos, nem “sopa humana”, nem abajures feitos de pele humana e nenhuma estatística demográfica acreditável.

 

2. Que evidência existe de que os nazis não mataram seis milhões de judeus?

Extensas evidências forênsicas, demográficas, analíticas e comparativas demonstram a impossibilidade de tal número. O grandemente repetido número de “Seis Milhões” é um exagero irresponsável.

 

3. Simon Wiesenthal alguma vez escreveu que “não existiram campos de extermínio em solo alemão”?

Sim. O famoso “caçador de nazis” escreveu isso em Star and Stripes, a 24 de Janeiro de 1993. Ele também sustenta que os “gaseamentos” de judeus aconteceram apenas na Polónia.

 

4. Se Dachau era na Alemanha e até Wiesenthal diz que não era um campo de extermínio, porque é que muitos veteranos americanos dizem que era um campo de extermínio?

Depois que os Aliados capturaram Dachau, muitos soldados americanos e de outras nações ficaram admirados com o campo e viram um prédio que alegadamente era uma “câmara de gás”. Os média continuam, falsamente, a dizer que Dachau era um campo de “gaseamento”.

 

5. E Auschwitz? Existe alguma prova de que câmaras de gás foram utilizadas lá para matar pessoas?

Não. Auschwitz, capturada pelos soviéticos, foi modificada após a guerra e uma sala foi reconstruída para parecer uma grande “câmara de gás”. Depois que o maior especialista em construção e design de câmaras de gás (reais) norte-americanas, Fred Leuchter, examinou esta e outras alegadas câmaras de gás, ele disse que era um “absurdo” dizer que elas foram, ou poderiam ter sido, utilizadas para execuções.

 

6. Se Auschwitz não era um “campo de extermínio”, qual era o seu verdadeiro propósito?

Era um centro de internamento e parte de um complexo manufactureiro de grande escala. Combustível sintético foi produzido lá e os seus prisioneiros foram utilizados como força de trabalho.

 

7. Quem construiu os primeiros campos de concentração?

Durante a Guerra dos Bôeres (1899-1902), os britânicos erigiram o que eles chamaram “campos de concentração” na África do Sul, para internar as mulheres e crianças dos afrikaners sul-africanos. Aproximadamente 30.000 morreram nestes campos, que eram tão terríveis quanto os campos alemães na II Guerra Mundial.

 

8. No que os campos de concentração alemães diferiam dos campos de “relocamento” no qual os nipo-americanos foram internados durante a Segunda Guerra?

A única diferença significante é que os alemães internavam pessoas com base em serem ameaças reais ou suspeitas ao esforço de guerra alemão, enquanto a administração Roosevelt internou pessoas com base apenas na raça.

 

9. Por que o governo alemão internou judeus em campos?

Ele considerava os judeus uma ameaça directa à segurança nacional. (Os judeus estavam grandemente representados na subversão comunista). Entretanto, todas os suspeitos que colocavam em risco a segurança - não apenas judeus - estavam em perigo de internamento.

 

10. Que medidas hostis os judeus do mundo tomaram contra a Alemanha a partir de 1933?

Em Março de 1933, organizações judias internacionais declararam um boicote internacional aos produtos alemães.

 

11. Os judeus do mundo declararam “guerra à Alemanha”?

Sim. Jornais em todo o mundo demonstraram isso. Uma manchete do jornal London Daily Express (24 de Março de 1933), por exemplo, anunciava “Judéia declara guerra à Alemanha”.

 

12. Isto foi antes ou depois que as histórias sobre “campos de extermínio” começaram?

Isto foi muitos anos antes do começo dessas histórias, que começaram em 1941-42.

 

13. Que nação cometeu o primeiro bombardeamento a um objectivo civil na II Guerra?

Grã-Bretanha, a 11 de Maio de 1940.

 

14. Quantas “câmaras de gás” existiam para matar pessoas em Auschwitz?

Nenhuma.

 

15. Quantos judeus estavam a viver nas áreas que vieram a ficar sob controle alemão durante a guerra?

Menos que seis milhões.

 

16. Se os judeus da Europa não foram exterminados pelos nazis, o que lhes aconteceu?

Depois da guerra milhões de judeus ainda estavam vivos na Europa. Centenas de milhares (talvez até um milhão e meio) morreram de diversas causas durante a guerra. Outros emigraram para os Estados Unidos, para a Palestina e outros países. Muitos mais fugiram da Europa após a guerra.

 

17. Quantos judeus fugiram ou foram evacuados para o fundo da URSS?

Mais que 2 milhões foram evacuados pelos soviéticos em 1941-42. Estes judeus, portanto, jamais ficaram sob controle alemão.

 

18. Quantos judeus emigraram da Europa antes da guerra, colocando-se, portanto, fora do alcance alemão?

Talvez um milhão (não incluindo aqueles absorvidos pela URSS).

 

19. Se Auschwitz não era um campo de concentração, porque é que o seu comandante, Rudolf Höss, confessou que o era?

Ele foi torturado pela polícia militar britânica, como um dos seus interrogadores posteriormente admitiu.

 

20. Existe alguma evidência de alguma política de americanos, britânicos e soviéticos de torturar os prisioneiros alemães para conseguir “confissões” exactas para usar nos julgamentos de Nuremberg e outros?

Sim. A tortura foi usada extensivamente para produzir “evidências” fraudulentas para os infames Julgamentos de Nuremberg e outros julgamentos de “crimes de guerra”.

 

21. Como é que a história do Holocausto beneficia os judeus actualmente?

Ela ajuda a tornar os judeus um grupo incriticável. Como um tipo de religião secular, ela dá uma junção emocional entre os judeus e os seus líderes. É uma poderosa ferramenta nas campanhas para conseguir fundos e é usada para justificar a “ajuda” norte-americana a Israel.

 

22. Como beneficia o Estado de Israel?

Ele justifica os bilhões de dólares em “reparações” que a Alemanha pagou a Israel e a muitos “sobreviventes” individuais. É usado pelo Lobby Sionista/Israelita para ditar uma política externa pró-Israel aos Estados Unidos no Médio Oriente e para forçar o pagador de impostos americano a mandar dinheiro a Israel, totalizando bilhões por ano.

 

23. Como é usado por muitos clérigos cristãos?

A história do Holocausto é citada para justificar a noção do Antigo Testamento dos judeus como um eternamento perseguido “Povo Escolhido”.

 

24. Como beneficiou os comunistas?

Ela divergiu a atenção das provocações soviéticas e atrocidades antes, durante e após a II Guerra Mundial.

 

25. Como beneficiou a Inglaterra?

Da mesma forma que aos soviéticos.

 

26. Existe alguma evidência de que Hitler ordenou o extermínio em massa de judeus?

Não.

 

27. Que tipo de gás foi utilizado nos campos de concentração alemães durante a guerra?

Gás cianídrico de “Zyklon B”, um pesticida comercial que foi utilizado amplamente pela Europa.

 

28. Para que propósito era fabricado o Zyklon B?

Era um pesticida utilizado para fumigar roupas para matar os piolhos transmissores de tifo e outras pestes.

 

29. Era um produto recomendável para o extermínio em massa?

Não. Se os nazis tinham a intenção de utilizar gás venenoso para matar pessoas, produtos muito mais eficientes estavam disponíveis. Zyklon B é um agente de fumigação de acção lenta.

 

30. Quanto tempo leva para ventilar uma sala depois de fumigação com Zyklon B?

Normalmente algo em torno de 20 horas. O processo como um todo é muito complicado e perigoso. Máscaras contra gás devem ser utilizadas e somente por empregados treinados.

 

31. O comandante de Auschwitz Höss disse que os seus homens entrariam nas “câmaras de gás” para remover os corpos dez minutos depois que as vítimas morreram. Como você explica isto?

Isso não pode ser explicado porque, ao fazê-lo, eles teriam sofrido o mesmo destino que as vítimas “gaseadas”.

 

32. Höss disse na sua “confissão” que os seus homens fumavam cigarros enquanto tiravam os corpos das câmaras de gás, dez minutos após o gaseamento. Zyklon B não é explosivo?

Sim. A confissão de Höss é evidentemente falsa.

 

33. Qual era o procedimento exacto que os nazis alegadamente usaram para matar os judeus?

As histórias vão de lançar gás numa sala apinhada de judeus através de buracos no tecto, lançar gás através de chuveiros, a “câmaras de vapor”, a máquinas de “electrocução”. Milhões alegadamente morreram destes modos.

 

34. Como poderia um programa de extermínio em massa ser mantido secreto daqueles que iriam morrer?

Não poderia ter sido mantido secreto. O facto é que não aconteceram gaseamentos em massa. As histórias de extermínio originaram-se como propaganda de guerra.

 

35. Se os judeus que iriam morrer conheciam o que o destino lhes reservava, porque eles seguiram os alemães sem resistir?

Eles não resistiram porque eles não acreditavam que havia qualquer intenção de matá-los.

 

36. Quantos judeus morreram em campos de concentração?

Estimativas competentes vão de 300.000 a 500.000.

 

37. Como eles morreram?

Na sua maioria, de diversas epidemias de tifo que castigaram a Europa em guerra, bem como fome e falta de cuidados médicos nos últimos meses de guerra, quando virtualmente todos os transportes por estradas e ferrovias tinham sido destruídos pelos Aliados.

 

38. O que é o tifo?

Esta doença aparece quase sempre quando muitas pessoas são colocadas juntas em condições insalubres. É carregada por piolhos que infestam o cabelo e as roupas. Ironicamente, se os alemães tivesse utilizado mais Zyklon B, mais judeus poderiam ter sobrevivido aos campos.

 

39. Qual é a diferença se 6 milhões ou 300.000 judeus morreram durante a Segunda Guerra Mundial?

5.700.000

 

40. Alguns “sobreviventes” judeus afirmam que viram corpos serem lançados em fossas e queimados. Quanto combustível seria necessário para isto?

Bem mais do que ao que os alemães tinham acesso, pois até havia uma certa falta de combustível durante a guerra.

 

41. Corpos podem ser queimados em fossas?

Não. É impossível para corpos humanos serem totalmente consumidos pelas chamas desta maneira por causa da falta de oxigénio.

 

42. Historiadores do Holocausto afirmam que os nazis eram capazes de cremar corpos em mais ou menos 10 minutos. Quanto tempo se leva para incinerar um corpo, de acordo com operadores de crematórios profissionais?

Mais ou menos uma hora e meia, com os ossos maiores requerendo processamento extra depois.

 

43. Por que é que os campos de concentração alemães tinham fornos crematórios?

Para dar uma solução eficiente e sanitária nos corpos daqueles que morriam.

 

44. Dado um ciclo de serviço de 100% em todos os crematórios de todos os campos de concentração em território controlado pelos alemães, qual é o número máximo de corpos que seria possível incinerar durante todo o período no qual estes crematórios estiveram em operação?

Mais ou menos 430.600.

 

45. Pode um forno crematório ser operado 100% do tempo?

Não. Cinquenta por cento é uma estimativa generosa (12 horas por dia). Os fornos crematórios devem ser limpos regularmente quando em operação pesada.

 

46. Quanto quantidade de cinza sobra de um corpo cremado?

Depois que todos os ossos serem destruídos, mais ou menos uma caixa de sapatos cheia.

 

47. Se seis milhões de pessoas foram incineradas pelos nazis, o que aconteceu às cinzas?

Isto ainda deve ser “explicado”. Seis milhões de corpos iriam produzir muitas toneladas de cinzas, entretanto não há evidência de algum grande depósito de cinzas.

 

48. As fotos de reconhecimento aéreo feitas pelos Aliados durante a guerra a Auschwitz (tiradas durante o período em que as “câmaras de gás” e os crematórios estavam supostamente a todo o vapor) demonstram alguma evidência de extermínio?

Não. De facto, estas fotos não revelam um traço da enorme quantidade de fumo que supostamente estava constantemente sobre o campo, nem dão qualquer evidência de “fossas abertas” nas quais os corpos eram alegadamente queimados.

 

49. Qual era o ponto principal das “Leis de Nürnberg” alemães de 1935?

Elas proibiam o casamento e relações sexuais entre alemães e judeus, similares às leis existentes em Israel hoje.

 

50. Há algum precedente americano para as Leis de Nürnberg?

Anos antes do Reich de Hitler, a maioria dos estados dos EUA tinha passado leis proibindo o casamento entre pessoas de diferentes raças.

 

51. O que a Cruz Vermelha Internacional disse em respeito à questão do “Holocausto”?

Um relatório oficial de uma visita de uma delegação da Cruz Vermelha Internacional a Auschwitz em Setembro de 1944 disse que os internos podiam receber pacotes e que os rumores de câmaras de gás não puderam ser verificados.

 

52. Qual era o papel do Vaticano no tempo em que seis milhões de judeus foram alegadamente exterminados?

Se existisse um plano de extermínio, o Vaticano certamente estava em posição de saber sobre ele. Mas, como não havia nenhum, o Vaticano não tinha razão alguma para falar contra ele e não o fez.

 

53. Que evidências existem de que Hitler sabia do programa de extermínio de judeus em andamento?

Nenhuma.

 

54. Os nazis e os sionistas colaboraram?

Tão cedo quanto 1933, o governo de Hitler assinou um acordo com os sionistas permitindo aos judeus emigrar da Alemanha à Palestina, levando grandes quantidades de capital com eles.

 

55. Como morreu Anne Frank?

Depois de sobreviver ao internamento em Auschwitz, ela sucumbiu ao tifo no campo de Bergen-Belsen, apenas algumas semanas antes do fim da guerra. Ela não foi gaseada.

 

56. O Diário de Anne Frank é genuíno?

Não. Evidências compiladas pelo Professor Robert Faurisson demonstram que o famoso diário é uma fraude literária.

 

57. E aquelas fotografias e filmes tirados dos campos alemães libertados mostrando pilhas de cadáveres? São falsas?

Fotografias podem ser falsificadas, mas é bem mais fácil adicionar uma descrição mentirosa na foto ou um comentário ao pedaço de filme. Pilhas de corpos não querem dizer que estes corpos foram “gaseados” ou deliberadamente esfomeados até a morte. Na verdade, estas eram vítimas trágicas de epidemias e/ou fome devido à falta de comida nos campos logo antes do final da guerra.

 

58. Quem inventou o termo “genocídio”?

Raphael Lemkin, um judeu polaco, num livro publicado em 1944.

 

59. Filmes como “A Lista de Schindler” são documentários?

Não. Tais filmes são dramas fictícios vagamente baseados na História. Infelizmente, muitas pessoas aceitam-nos como verdadeiros documentários históricos.

 

60. Quantos livros foram publicados que refutam algum aspecto da história oficial do Holocausto?

Dúzias. Muitos mais estão em produção.

 

61. O que aconteceu quando o Instituto pela Revisão Histórica ofereceu 50.000 dólares a qualquer um que pudesse provar que os judeus foram gaseados em Auschwitz?

Nenhuma prova foi oferecida para pedir a recompensa, mas o Instituto foi processado em 17 milhões de dólares pelo ex-prisioneiro em Auschwitz Mel Mermelstein, que alegou que a recompensa lhe causou perda de sono e o sofrimento do seu negócio e representava “uma negação injuriosa do facto estabelecido”.

 

62. E sobre a acusação de que aqueles que questionam a história do Holocausto são meramente anti-semitas ou neo-nazis?

Isto é uma mentira designada para retirar a atenção de factos e argumentos honestos. Estudiosos que refutam o Holocausto são de todas as correntes políticas, etnias e religiões (inclusive judeus). Não existem nenhuma relação entre a refutação do Holocausto e o anti-semitismo ou o neo-nazismo. Crescentes números de estudiosos judeus admitiram abertamente a falta de evidência para pontos chave da história do Holocausto.

 

63. O que aconteceu aos historiadores “revisionistas” que desafiaram a história do Holocausto?

Todos têm sido vítimas de campanhas de ódio, perda de posições académicas, perda de pensões, destruição da sua propriedade e violência física.

 

64. O Instituto pela Revisão Histórica sofreu alguma retaliação pelos seus esforços para manter o direito da liberdade de expressão e liberdade académica?

O IHR (Institute for Historical Review) sofreu ataques à bomba três vezes e foi completamente destruído a 4 de Julho de 1984, num ataque criminoso. Numerosas ameaças de morte por telefone têm sido recebidas. A cobertura dos média sobre o IHR tem sido grandemente hostil.

 

65. Por que existe tão pouca publicidade sobre as opiniões revisionistas?

Porque, por razões políticas, o “Establishment” não quer uma discussão a fundo sobre os factos em torno da história do Holocausto.

 

66. Onde eu é que eu posso conseguir mais informações sobre o “outro lado” da história do Holocausto, bem como factos que dizem respeito a outros aspectos do revisionismo da II Guerra Mundial?

O Instituto pela Revisão Histórica, P.O. Box 2739, Newport Beach, CA 92659, tem uma grande variedade de livros e cassetes de vídeo sobre importantes acontecimentos históricos.


 




"Israel como um Estado judeu constitui um perigo não apenas a si mesma e a seus habitantes, mas a todos os judeus, e a todos os povos e Estados do Oriente Médio e além."

- Prof. Israel Shahak, judeu e fundador da Liga Israelense de Direitos Humanos


Palestine banner
Viva Palestina!

Latest Additions - em Português

A Entrevista do General Remer
Um dos mais famosos comandantes militares da II Guerra Mundial

Quem controla o Brasil - sionismo na presidência

A conspiração Sionista - para dividir os estados Árabes em pequenas unidades

Fotos   

Herman Rosenblat, um – verdadeiro – cara de pau!    


Iraq under Jewish occupation
Iraq - guerra e ocupação


Rabino defende genocídio do povo palestino

A vez do Irã

Um Complô contra a Radio Islam

Massacre em Gaza - A bestialidade judeo-israelita
Por Alfredo Braga

O que é o Revisionismo?
 

"Se eu fosse um líder árabe nunca assinaria um acordo com Israel. É normal; nós tomamos o país deles."

- David Ben-Gurion, Primeiro-Ministro de Israel


Citações - sionismo

Os Judeus Khazares
Por Dr. Alfred M. Lilienthal


Rabino defende Holocausto Iraniano
“devemos orar pela destruição do Irã”

O poder oculto - De onde nasce a impunidade de Israel
Por Manuel Freytas

Down with Zio-Apartheid
StopJewish Apartheid!

Sobre a influência sionista no Brasil: Judeus no Brasil

As vitórias do revisionismo
Por Professore Robert Faurisson

The Jewish hand behind Internet The Jews behind Google, Facebook, Wikipedia, Yahoo!, MySpace, eBay...

Islamofobia = Propaganda Sionista

Um olhar para o poderoso Lobby judeo - Por Mark Weber

The Founding Myths of Modern Israel
Garaudy: "Os Mitos fundadores"


A Lavagem de Dinheiro das Drogas Pelos Judeus
Maior jornal Israelense Ma'ariv revela!

No assunto do rancor judaico à Cristandade - Por Israel Shahak

Racismo Judaico contra Não-Judeus conforme expresso no Talmud

Reel Bad Arabs - Revealing the racist Jewish Hollywood propaganda

Sobre "O Relatório Leuchter"

The Founding Myths of Modern Israel
Shahak: "Storia ebraica"

O Holocausto negro 
“O comércio de escravos estava nas mãos de judeus”

Protocolos dos Sábios de Sião

Videos - Importante coleção
 

Talmud unmasked
A Verdade Sobre o Talmud

O Talmud Desmascarado

Caricaturas

Ativismo! - Participa na luta!